Sinergia para o Parto

Nascentia   •   novembro, 2016

Sinergia significa cooperação, e é um termo de origem grega (synergía). Sinergia é um trabalho ou esforço para realizar uma determinada tarefa muito complexa, e poder atingir seu êxito no final. Sinergia é o momento em que o todo é maior que a soma das partes.

“Aromaterapia é uma prática terapêutica, que visa induzir o relaxamento, para aumentar a energia, para reduzir os efeitos do estresse e para restaurar o equilíbrio perdido da mente, corpo e alma.” (TISSERAND, Robert)

A aromaterapia utiliza o que chamamos de essência-alma das plantas (ou quintessência dos alquimistas) criada e arquitetada pela natureza, a qual nunca será reproduzida em laboratório, como afirmou Sonia Corazza em 2002. A aromaterapia é uma terapia olfativa que pode ser utilizada de diversas formas: aromatizador de ambiente, massagens, compressas, banhos, escalda-pés, “lenços”, colares, etc.

A terapia visa prevenir doenças e promover a saúde (física e afetiva), trazendo a sensação de bem-estar, tão difícil de sentir ultimamente.

Seu mecanismo de ação é neurológico, hormonal e sistêmico no corpo humano. É capaz de estimular uma parte do cérebro conhecido como área emocional (amígdalas e sistema límbico) que é responsável pelas memórias e sentimentos. Através da inalação da essência ou do óleo essencial os receptores olfativos estimulam o sistema límbico promovendo respostas emocionais agradáveis, liberando sentimentos e emoções positivas que favorecem a cura, a paz, a harmonia entre corpo-mente-alma.

O óleo essencial ou essência também são absorvidas também pelos brônquios e pulmão onde chegam à corrente sanguínea e por ação química e energética vibracional desbloqueiam a energia e sentimentos estagnados. A liberação das emoções é importante para o desenvolvimento e para a transformação do ser humano.

Entre os efeitos esperados podemos encontrar: o relaxamento (físico e afetivo), estimulação do corpo e da mente, sedação de dores e dispersão de bloqueios. Dependendo do tipo, encontramos também as ações antiviral, antibacteriano, antifúngico e antiespasmódico, bem como fortalecimento do sistema imunológico, redução da ansiedade, do estresse, da dor, da insegurança, das lembranças e aprendizados negativos (esses últimos são específicos para os momentos da gestação, do parto e do puerpério).

Os efeitos não param por aqui. Existem inúmeros benefícios já estudados por pesquisadores do mundo. Um trabalho recente realizado aqui no Brasil mostrou, através de uma revisão integrativa, que os benefícios da aromaterapia tem nível 2 de evidência científica (Lopes, 2016). Além dos benefícios, são de baixo custo e de fácil aplicabilidade, o que leva a sua utilização quase ser uma regra!

Cabe a cada pessoa, cuidador ou profissional da saúde escolher seus aromas preferidos e úteis para cada caso. Existem profissionais no assunto. Vale a pena consultar para conhecer as doses, concentração, os cuidados e as contraindicações da utilização da terapia.

Após anos de experiência no campo da obstetrícia e no campo dos recursos que aliviam a dor do parto, o medo, a insegurança, criamos uma sinergia voltada para apoiar física, afetiva e energeticamente o momento mais sublime e mais sagrado de uma mulher. Aqui está uma sugestão de Sinergia em Aromaterapia para o Parto e Nascimento:

Hortelã – Óleo essencial extremamente refrescante, é uma chuva de verão para lavar a alma, revigora, traz concentração no presente aqui e agora, expectora, limpa, é um excelente analgésico muscular e estimulante da mente, bom para dores de cabeça e náuseas durante a gestação (usar após 3 primeiros meses). ESTIMULAR

Bergamota – Bactericida, cólicas, perda de apetite, estimulante digestivo, cândida, dermatoses, angústia, estresse, calmante, antidepressivo, ansiedade – RELAXAR

Gengibre -Analgésico, tônico, estimulante, excelente para dores, distensões e tensões musculares, estrutura vertebral, estrutura óssea, digestivo, cãibras, enxaqueca, tônico sexual e auxilia a concentração – REESTRUTURAR

Gerânio- Desintoxicante, diurético, celulite, obesidade, TPM, pele oleosa, rejuvenescedor, rugas, harmoniza, acalma, antidepressivo, ansiedade, raiva, tristeza, afrodisíaco, repelente de insetos – REJUVENESCER

Lavanda- Bactericida, regenerador celular, enxaqueca, hemorróidas, herpes, dores em geral, hipertensão, relaxante e calmante, flatulência, cólica, TPM, medo, traumas, ansiedade, estresse, melancolia, tensão nervosa, auxilia no parto e pós parto, cicatrizante, queimaduras, equilibra e harmoniza – SOCORRER

Patchouli-Rejuvenescedor, regenerador, acne, cicatrizante, tônico sexual, bactericida, calmante e relaxante, meditação – CENTRALIZAR

Palmarosa -Regenerador celular, rejuvenescedor, adstringente, dermatoses, limpeza facial, stress, nervosismo, antidepressivo, fadiga – ADAPTAR

Sândalo-Regenerador celular, tônico geral, anti-séptico urinário, afrodisíaco, combate a frigidez, cicatrizante, egocentrismo, agressividade, stress, ansiedade, meditação, calmante – UNIFICAR

Tea Tree-Excelente ação bactericida, antiviral, fungicida, antiinfecciosa, herpes, micoses, fadiga física e mental, elimina fungos e purifica o ambiente, acne, picadas de insetos – ENCORAJAR

Ylang-Ylang-Auxilia nos momentos de tristeza, grande anti-depressivo, raiva, melancolia, possessividade, ansiedade, estresse, regulariza estados de TPM, auto-estima, auto-confiança, sensual, afrodisíaco, confortante – AMAR

Sálvia Sclarea-Relaxante, fortalece o organismo, excelente para TPM, tensão, regulador feminino, auxilia no parto, frigidez, celulite, adstringente, antidepressivo, stress, pânico, agressividade – REGULARIZAR

Referências:

LOPES, G. de C. (2016). O uso da aromaterapia no trabalho de parto e parto: uma revisão integrativa. Disponível em: http://www.repositorio.jesuita.org.br/bitstream/handle/UNISINOS/5574/Giovanna%20De%20Carli%20Lopes_.pdf?sequence=1

VERNER, R. (2015). AROMATERAPIA E O TRATAMENTO DAS EMOÇÕES – DA GESTAÇÃO, PARTO AO PUERPÉRIO. Disponível em: https://temosquefalarsobreisso.wordpress.com/2015/07/15/aromaterapia-na-gestacao-parto-e-puerperio/

Por |2017-06-05T16:10:03+00:0015 de novembro de 2016|Artigo|